CONOTAÇÃO E DENOTAÇÃO

Continuando na explicação e resolução de questões, vamos explorar uma do concurso para Delegado de Polícia (Alagoas/CESPE/2012):

FRAGMENTO DO TEXTO DE APOIO - “Uma mulher da era a.CP (antes da cirurgia plástica), Ravenna suga a alma, a juventude e a beleza das adolescentes e devora corações puros, que arranca com suas unhas, enquanto chafurda na amargura. O filme, para quem não sabe e não viu, busca resgatar o conteúdo terrorífico das origens dos contos de fadas”.

AFIRMATIVA DA PROVA - A forma verbal “chafurda” está empregada, no texto, em sentido denotativo.

DICA – De maneira simplória e guardando divergências teóricas, podemos dizer que há sentido denotativo quando o emissor emprega um termo para evocar seu sentido literal, dicionarizado, atrelado a uma significação “original” e “inequívoca”. Por outro lado, dizemos do sentido conotativo quando o emissor emprega um termo para evocar seu sentido figurado, literário, contextual, análogo a uma expressividade afetiva, cultural, social etc. 

ANÁLISE – A resposta é E (errado). Por mais conhecida que seja a diferença entre denotação e conotação, a complexidade dessa questão reside em reconhecer o sentido “original” do termo “chafurda” (e sua correspondente forma verbal “chafurdar”). Chafurda, denotativamente, significa “chiqueiro”, ou “lamaçal onde os porcos deitam e se reviram”. Logo, não cabe esse sentido no trecho analisado. Lá está o emprego de “chafurdar” em sentido figurado, de “atolar-se em um sentimento”, ou de “entranhar-se em algo negativo, corrosivo, sujo”. Como o termo “amargura” refere-se a um sentimento e complementa o verbo “chafurdar”, há emprego de sentido conotativo.