PARTE GERAL - LEGÍTIMA DEFESA SUCESSIVA

Para que ocorra legítima defesa é necessário observar todos os requisitos decorrentes do artigo 25 do Código Penal, para facilitar a compreensão será fracionado o dispositivo legal: 

Entende-se em legítima defesa quem:
1- Usando moderadamente dos meios necessários -> deve ser adotado o meio menos lesivo, porém necessário (evita-se excessos). 
2- Repele injusta agressão -> nada mais é que a conduta HUMANA contrária ao direito seja ela dolosa ou culposa, NÃO precisa ser conduta criminosa. 
3- Atual ou iminente -> a agressão deve estar ocorrendo ou com sinais notórios de que ocorrerá em lapso temporal bem próximo. 
4- A direito seu ou de outrem-> aqui se permite a defesa de qualquer bem jurídico, de quem se defende e de terceiro.
Há como elemento extralegal:
5- Conhecimento da situação de fato justificante ->este refere-se ao elemento subjetivo que atua na conduta do autor, que deve saber que atua em legítima defesa e agir neste sentido, se ocorrer intenção diversa não estará acobertado por esta excludente de ilicitude. 

Antes de explicar a legítima defesa sucessiva é importante fazer uma breve explicação sobre o excesso nesta excludente. 

Se o agente se defende de uma lesão ao seu bem jurídico observando todos os requisitos apresentados, e após a neutralização do agressor passa a agredir o bem jurídico do agressor inicial pode cometer crime? Para facilitar a resposta, basta lembrar da situação da vítima que se defende de um ladrão e após dominá-lo começa a agredi-lo.
SIM! Poderá ocorrer crime, haverá excesso que poderá ser punido a título de dolo ou de culpa.
Fica claro que o excesso é punível e isto está previsto na lei nos termos do artigo 23, parágrafo único do Código Penal.

E contra este EXCESSO, pode haver legítima defesa? O ladrão poderia revidar as agressões desnecessárias que começou a sofrer? 
A resposta só pode ser SIM, pois a Legítima defesa SUCESSIVA. É um combate ao abuso excessivo da legítima defesa. Todas condutas que são desnecessárias e ocorrem após a “neutralização da agressão” permitem a legítima defesa que é denominada SUCESSIVA, esta nunca será simultânea.

** CAIU EM CONCURSO**

CESPE - 2013 - MPU - Analista - Direito
Em relação às excludentes de ilicitude, na hipótese de legítima defesa, o agente deve agir nos limites do que é estritamente necessário para evitar injusta agressão a direito próprio ou de terceiro.

Resposta: CERTA

CESPE - 2013 - Polícia Federal - Delegado de Polícia
Ocorre legítima defesa sucessiva, na hipótese de legítima defesa real contra legítima defesa putativa.

Resposta: ERRADA