PONTUAÇÃO E COESÃO

Trago mais uma questão, desta vez do concurso para Perito Criminal Federal (CESPE, 2013). 

FRAGMENTO DO TEXTO DE APOIO - “O que tanta gente foi fazer do lado de fora do tribunal onde foi julgado um dos mais famosos casais acusados de assassinato no país? Torcer pela justiça, sim: as evidências permitiam uma forte convicção sobre os culpados, muito antes do encerramento das investigações. Contudo, para torcer pela justiça, não era necessário acampar na porta do tribunal (...)”.

AFIRMATIVA DA PROVA - Sem prejuízo do sentido original do texto, os dois-pontos empregados logo após “sim” poderiam ser substituídos por vírgula, seguida de “dado que” ou “uma vez que”.

DICA – O sinal de pontuação dois-pontos é empregado em diferentes finalidades: introduzir uma enumeração, introduzir um resumo/conclusão, introduzir fala de personagem ou citação, para esclarecer ou explicar uma ideia/conceito que o precede, antes de palavras específicas (como “exemplo”, “nota”, “observação”), entre outras. De fato, na sentença acima, usei “dois-pontos” para introduzir uma enumeração. 

ANÁLISE – A resposta é C (certo). Em quase todos os casos, o “dois-pontos” pode ser substituído por vírgula, desde que não prejudique a coesão, o encadeamento das informações contidas no texto. Como seu emprego já orienta o uso ao leitor (as finalidades que citei), a substituição deve vir acompanhada de um elemento coesivo para reorganizar a progressão do texto. São válidas, portanto, as opções “dado que” e “uma vez que”.