SINAIS ABIÓTICOS CONSECUTIVOS

O Período de Incerteza de Tourdes é aquele em que não sabemos se o individuo está morto ou não, decorrente dos sinais abióticos que expõem probabilidade de morte. A irreversibilidade do quadro se caracteriza a partir da morte encefálica.

- Veja quais são os sinais abióticos consecutivos:

I – A evaporação tegumentar é um fenômeno físico que se caracteriza pela evaporação decorrente do contato com o ambiente externo. A partir do momento em que a pessoa morre há tendência da água sair do corpo e se evaporar quando em contato com o ambiente externo. No entanto, a pele tem gordura, pode ser mais grossa ou fina, podendo dificultar mais ou menos a saída da água do organismo.

II – O resfriamento cadavérico é um fenômeno físico caracterizado pela perda do calor pelo meio ambiente, uma vez que o organismo perde o sistema de regulação da temperatura. Normalmente os cadáveres esfriam, no entanto, se estiverem em um local mais quente do que o ambiente do corpo, é perfeitamente possível que eles apresentem temperatura elevada.

III – Os livores cadavéricos se apresentam como um fenômeno físico e se caracterizam por manchas arroxeadas resultantes do acúmulo de sangue nas regiões de maior declive do cadáver. A partir do estágio em que se apresentam os livores, é possível mensurar o tempo de morte. 

IV – Já a rigidez cadavérica é um fenômeno químico decorrente do evento morte. Os músculos são formados por proteínas: Aquitina e Miosina. Quando individuo morre, cessa a entrada de oxigênio e, à medida que o tempo de morte passa, o organismo vai ficando ácido. Assim, com a presença da acidez, as proteínas começam a coagular e enrijecer a musculatura. No momento da morte o cadáver possui flacidez muscular generalizada. A análise da rigidez cadavérica é para fins de mensurar o tempo de morte é mais precisa do que a da análise da temperatura do corpo.